sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Roçadeira brasileira - Multi Roçadeira Alfa

Um agricultor do Amapá inventou uma roçadeira para ajudá-lo no trato da lavoura e já conseguiu até vender o equipamento.

As árvores de laranja, limão e tangerina se espalham pela fazenda de José Alfaia Batista. Ele e mais dois trabalhadores tomam conta dos 9 hectares de plantação.

Muito serviço para pouca gente, principalmente, na hora de aparar o mato alto. Outro problema, já que uma boa roçadeira não sai por menos de R$3 mil.

A necessidade transformou o agricultor em inventor ele criou uma roçadeira sem nem sair da fazenda. Foi de um carrinho-de-mão velho e um mini-buggy sucateado que seu Alfaia fez a primeira roçadeira.

Do buggy, foi tirado o motor que foi acoplado à base do carrinho já sem a caçamba. Faltava uma lâmina para roçar que foi retirada do feixe de mola de um caminhão.

Quando o agricultor viu que a idéia deu certo resolveu investir na invenção. Começou a retirar a caçamba de todos os carrinhos-de-mão da propriedade para criar novas roçadeiras com alguns ajustes.

O motor, agora, é comprado em lojas especializadas. Um colete é colocado em volta do pescoço para garantir melhor manejo da máquina. É hora do teste.

Num movimento de vai-vém, a roçadeira corta e tritura o mato facilitando a absorção pelo solo. O capim vira matéria orgânica para a terra. Seu alfaia quer, agora, ganhar dinheiro com a invenção.

“A partir do momento que eu vi que deu certo, comecei a ver as facilidades que eu tinha para trabalhar com ela e o potencial dela, aí me preocupei em patentear”, diz Alfaia.

Outro argumento na hora da venda é o uso versátil do motor, numa região onde a maioria das fazendas não tem energia elétrica e o produtor não tem condições de comprar um motor para cada maquinário.

Acoplado a um esmeril o motor ajuda a amolar facas com uma polia pode ser usado no corte de madeira. Um instrumento chamado catitu, ajuda a ralar a mandioca. Serve até para um passeio de bote no lago.

Seu Alfaia já vendeu a agricultores da região 28 unidades do seu invento.

Fonte: Globo Rural (17/07/03)

A patente da invenção já foi obtida sob o número de PI02025642, e pode ser conferida na revista do INPI.
O autor aparece também no evento Amazontech, já como micro-empresário.

3 comentários:

Sheep disse...

Saudações, colega engenheiro!
Conheci seu blog hoje e confesso que achei muito interessante.
Coloquei o feed no meu blog, caso você possa, gostaria que fizesse o mesmo.
Att.

Sheep disse...

O meu blog: multisign.blogspot.com (esqueci de colocar no comentário anterior).

Marcelo Britto disse...

Coloquei na lista sim.
Que bom que gostou do blog.
Ele esteve muito parado nos últimos meses, mas estou retornando agora.

Submarino 2